ACMA || Voluntariado: a minha experiência

11:00

   Neste mês, o ACMA quer saber mais de nós e, para isso, tem como tema os Hobbies e Passatempos. Falo regularmente por aqui de livros, filmes e séries que costumo ler/ver nos meus tempos livres. No entanto, queria trazer-vos algo novo, algo que não seja tão abordado por aqui. Já vos falei várias vezes que estou envolvida em ações de voluntariado e hoje vou contar-vos mais coisas sobre isso!


   Depois de muito tempo a querer envolver-me em atividades de voluntariado, no segundo ano de faculdade concretizei, finalmente, o meu objetivo e juntei-me ao UBICool. O meu papel no UBICool era simples: junto com uma pequena equipa (entre 2 a 4 pessoas no total) de estudantes universitárias, íamos às várias escolas da cidade fazer atividades com jovens. Essas atividades iam no sentir de promover a igualdade de género e prevenir a violência. Fazíamos dinâmicas com pequenos e graúdos, em contexto de recreio e em contexto de sala de aula, e o retorno era sempre de encher o coração. Por muitos miúdos que nos parecessem mais problemáticos, e a quem tínhamos plena noção de que o que dizíamos entrava a 100 e saía a 200 - o que não nos impedia de tentar chegar a eles -, havia sempre outros que se mostravam realmente conscienciosos em relação ao que dizíamos e que nos faziam ter ainda mais esperança nas gerações futuras.
   Fiz parte do UBICool durante dois anos e foram, sem dúvida, dois anos de aprendizagens. No início ficava aterrorizada só de pensar que iria estar a falar em frente a uma turma inteira, que não saberia o que dizer e que o improvisar que iria sair ao contrário. Tremia que nem varas verdes mal punha os pés dentro das escolas, e garanto-vos que não estou a exagerar, mas depois passava. Afinal de contas, qual a pior coisa que podia acontecer? Era isto que pensava para mim mesma e que me permitiu crescer imenso e ter menos "medo" da exposição a que eu própria me sujeitava.

   Depois de dois anos neste projeto, achei que estava na altura de me dedicar a algo novo e de sair, novamente, da minha zona de conforto. E foi então que me candidatei à Happy Wish quando fizeram recrutamento. A Happy Wish é uma júnior empresa sem fins lucrativos, constituída por alunos da UBI, que pretende concretizar os desejos das pessoas que se encontram em momentos menos favoráveis das suas vidas. Passadas as fases de recrutamento, e assim que passei a integrar a equipa da Happy, chegou a minha atividade no âmbito da mesma. Fui, juntamente com uma equipa de alunos, a uma escola da cidade (onde já tinha feito voluntariado com o UBICool), desenvolver atividades para a promoção de igualdade entre pessoas com e sem deficiências, de forma a celebrar o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência. Sem dúvida que estava na minha praia, dado que aquilo que fiz ia muito de encontro àquilo a que já estava habituada a fazer.
   Depois desse primeiro passo com a Happy, que já conta com alguns capítulos, chegou a oportunidade de integrar uma equipa que iria trabalhar, até ao final do ano letivo, com jovens com algumas dificuldades. Tem sido um desafio constante, sobretudo para mim por estar realmente fora da minha zona de conforto, mas não podia estar mais feliz por estar a fazer algo de útil e por poder ter algum impacto na vida daqueles jovens. Além disso, a Happy Wish está a aliar-se a outros projetos que darão os seus frutos ainda este mês - e pelos quais eu estou ansiosa -.

   É ainda um percurso curto no voluntariado mas é algo que sempre quis fazer e que me enriquece tanto a nível pessoal, como a nível profissional, por me permitir ter contacto com algo mais que livros onde aprendo a diagnosticar dificuldades (e, além disso, cheguei à conclusão que as coisas não são bem como dizem os livros). É cansativo, consome bastante tempo mas é, sem dúvida, recompensador por me deixar tão feliz comigo mesma pelo sentimento de realização que me dá e pela possibilidade de melhorar a vida das outras pessoas. O voluntariado faz parte de mim e espero que assim continue.

   Como sabem, este post foi feito no âmbito do ACMA. Podem saber mais do projeto aqui e podem também vocês fazer parte, basta enviarem um e-mail para corsemfim@gmail.com

   Podem ver os posts dos restantes membros do projeto nos respetivos blogs:

   E vocês, alguma vez fizeram voluntariado? Qual o vossos hobby de eleição?






• • •
Podes acompanhar-me também aqui:

You Might Also Like

9 comentários

  1. São experiências únicas e tenho a certeza que aprendeste e cresceste muito com isso. Beijinhos*

    ResponderEliminar
  2. Eu também faço voluntariado. Desde que me lembro que faço parte dos bombeiros. Uma segunda família sem dúvida! Amo o que faço, adoro ajudar as pessoas e ver isso reconhecido.
    Não trocava o voluntariado por nada ❤.
    Olhares (in)descretos

    ResponderEliminar
  3. Olá Dalila :)

    Eu já fiz voluntariado. É algo que no fundo gosto, mas das vezes que o fiz tive uma triste realidade. Pelo menos nos casos em que estive. Há gente que está no voluntariado não para servir mas para se servir. E por isso, e dessa altura para cá, que qualquer coisa que envolva voluntariado da minha parte é respeitosamente declinado. Com tanta gente a dar o seu tempo e muito mais não vejo o avanço que é necessário e desejado para o nosso quotidiano.

    Não é algo de positivo para mim pelas experiências que tive. Mas ainda bem que há muito mais histórias positivas para contar sobre voluntariado.

    Bom post :)

    PUMPUM - www.pumpum.org

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. António, tenho imensa pena que a tua experiência não seja a mais positiva. Na verdade, fico mesmo triste por saber que algo tão bom perde o significado por causa das pessoas não o praticarem com o carinho que o voluntariado merece. Honestamente, acredito que haja muitos bons corações no meio dessas pessoas que referes e que, certamente, se deres uma segunda oportunidade a esta experiência, poderás encontrar esses corações :)

      Beijinhos e obrigado pela tua partilha!

      Eliminar
  4. Eu adorava poder fazer voluntariado, infelizmente na minha zona não há assim tantas oportunidades de o poder concretizar! Mas aqui há uns tempos tive oportunidade de ajudar no banco alimentar e foi uma das melhores coisas que fiz, fez-me sentir muito bem e feliz!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No meu caso, o Banco Alimentar ainda está por riscar da lista! Espero poder participar em breve :)

      Eliminar

Muito obrigado pela tua visita e comentário. Clica em "Notificar-me" para saberes a minha resposta.
Assim que possa irei ao teu blog retribuir o carinho. ♥