Eu não escolhi a Psicologia

11:00

   Calma gente, é claro que depois de um mês de 28 dias com 28 posts tinha que dar um slow down ao andamento e pausar os posts para dar play à vida académica. É mesmo disso que venho falar hoje e de como cheguei onde estou. Não é novidade para ninguém o quanto gosto daquilo que estudo. Difícil é eu encontrar um ramo da Psicologia que não me agrade: da cognitivo-comportamental (terceira geração incluída) à terapia familiar, passando fortemente pela neuropsicologia, imagino-me a trabalhar em qualquer uma delas. Eu não escolhi a Psicologia, foi ela que me escolheu a mim.


   Desde sempre que ouvia coisas como "tens tanto jeito para ouvir os problemas dos outros, és realmente interessada e vê-se que dás o teu máximo para ajudares no que podes". Os anos passaram (isto vinha desde o 5º ano, só para terem noção da dimensão da coisa), mas nada mudou.
   Honestamente, nunca pensei que este fosse ser mesmo o meu futuro. Nunca pensei ao certo no que queria seguir quando fosse para a faculdade. Sabia que queria seguir nos estudos pelo meu gosto por aprender - as aulas e a escola em si sempre me fascinaram (independentemente de situações desagradáveis com os bullies da zona) - por isso sabia que o mais certo era seguir. Só não sabia em quê.
   Ao chegar ao 9º ano, os testes de orientação vocacional não enganavam: humanidades era a minha praia. Não me opus minimamente: apesar de adorar Biologia, Matemática e Física eram um pain in the ass na minha motivação porque eram sempre as disciplinas para as quais mais me esforçava e os resultados eram sempre iguais às restantes. Ao útil, juntei o agradável de ter História e Geografia - disciplinas que adorava de coração -. No 12º ano gerou-se o caos. E agora? A poucos meses de me candidatar, ainda não sabia para que lado me virar. Direito era uma carta em cima da mesa. Sempre adorei coisas relacionadas com a lei e achava que podia conseguir tornar-me uma pessoa ainda mais justa se me formasse nesse curso. No entanto, em conversas com a psicóloga da escola acerca do assunto percebi que tinha bem perto de casa uma oportunidade à minha medida: Psicologia. E assim foi, a minha primeira opção venceu e entrei em Psicologia na minha cidade.
   Senti-me tão realizada e feliz. Com as primeiras cadeiras percebi que foi a decisão mais acertada que podia ter tomado. Adorei logo tudo e identifiquei-me de imediato com tudo o que me rodeava. Aquilo era a minha praia e estudar não era maçador: estava a aprender assuntos sobre os quais tinha interesse genuíno. E assim se passou a licenciatura.

   Agora, já no mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde, o sentimento de realização pessoal e a vontade de fazer mais e melhor crescem a cada dia que passa. O percurso sempre teve obstáculos: relações interpessoais que descarrilam, pessoas que nos desiludem, cadeiras que nos fazem perder horas de sono e professores que nos fazem perder (quase) toda a motivação. Mas, até agora, a motivação mantém-se de pedra e cal, e espero que assim continue.
   Esta semana realizou-se na minha faculdade o VI Fórum de Psicologia (que consiste em 3 dias de palestras e workshops orientados pelos mais diversos oradores sobre as várias áreas da Psicologia) e, sem dúvida, foi o melhor a que já assisti. A organização não podia estar mais de parabéns: criatividade e originalidade foram as palavras de ordem. Enriquecimento e aprendizagens estiveram presentes em todas as palestras e workshops. Deparei-me com barreiras que eu própria não sabia que tinha dentro de mim mesma e que vou querer ultrapassar mas, por outro lado, percebi que não estou sozinha na minha vontade de dar ao mundo tudo o que tenho de bom. Tive oportunidade de contactar com pessoas maravilhosas que inspiraram todos os presentes a nunca baixar os braços e a lutar acima de tudo. Haverá aprendizagem mais importante?

   Não podia estar mais grata pela possibilidade de estudar a área que mais me apaixona, que me permite descobrir-me e ajudar os outros. Sem dúvida que fui escolhida pela Psicologia e isso é a coisa mais garantida que tenho na vida. Nós, psicólogos, estudamos a ciência mais bonita: a ciência que nos estuda a nós próprios.

   Como podem ver, falar sobre isto é sempre muito para o sentimental. É realmente o que quero para a minha vida e é impossível não exteriorizar o que sinto para esse lado. Melhor do que ser a única a gostar da Psicologia, é olhar ao meu redor e ver dezenas de pessoas que sei que serão excelentes profissionais e que ajudarão na contribuição para um mundo melhor. É tão bom sentir isto.

   Psicólogos/as desse lado (sei que há algumas eheh), como foi o vosso percurso? Gostavam de saber mais detalhes sobre a minha licenciatura ou mestrado?






• • •
Podes acompanhar-me também aqui:

You Might Also Like

11 comentários

  1. É tão bom saber que desse lado encontro pessoas da mesma área. Ainda que tenha escolhido um mestrado diferente do teu, interesso-me bastante pela tua área, por isso podes sempre partilhar mais, que eu estou cá para ler. Assim como caso tenhas alguma dúvida sobre a minha, estarei disponível para responder.
    Desejo-te tudo de bom para o teu percurso :)

    ResponderEliminar
  2. Adorei o post Dalila. Eu adoro Psicologia e pensei seriamente em seguir esse curso mas houve outras coisas que falaram mas alto. Mas gosto imenso do tema e acho que tens razão quando dizes que é a ciência mais bonita.
    É bom saber que te sentes tão feliz e realizada no teu curso e que vês à tua volta tantos futuros bons profissionais. Por mim podes fazer todos os posts que quiseres sobre isso no blog. Eu adoro o tema.

    Beijinhos

    http://buongiornoprincipessa3.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  3. Vê-se que estás feliz com a tua escolha e tens imenso gosto e vontade de trabalhar nessa área, isso é o principal! Beijinhos*

    ResponderEliminar
  4. Eu tive uma espécie de psicologia no secundário e até gostei!

    Beijinhos
    That Girl

    ResponderEliminar
  5. É um doce ler posts como estes, para mim és assim uma inspiração, porque vejo em ti muita coisas que também já senti em relação à psicologia. Eu estive em ciências mas desde o 11º que sabia que psicologia era mesmo o que eu queria fazer. Também sempre ouvi coisas desse género, "tens tanto jeito para ouvir os outros, dás sempre tão bons conselhos". Consigo mesmo ver-me nessa tua frase "a psicologia escolheu-me a mim" porque é mesmo isso que eu sinto!
    Um beijinho enorme e um desejo de sucesso!
    wallflowerbyines.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  6. eu entrei em psicologia na universidade que queria, e via-me na área, mas como o meu sonho sempre foi enfermagem, acabei por ir para mais longe para uma das melhores universidades da área e não me arrependo nada. tive já uma cadeira de psicologia e vou ter ainda mais, e é um assunto pelo qual me interesso, contudo achei que a cadeira que tive não foi dada da melhor forma.
    gostei de ver a tua perspetiva, e de saber que vão haver futuros profissionais que gostam mesmo do que fazem. (:
    http://arrblogs.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  7. Fico mesmo feliz por saber que estás no curso que te realiza :). Não te conheço pessoalmente mas, pelo que vejo, serás uma excelente psicóloga :). Vê-se que tens mesmo gosto em trabalhar na área. Oxalá que existissem mais pessoas dedicadas naquilo que fazem como tu.
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  8. Gosto imenso de psicologia, qualquer área da psicologia, mas não segui para a Universidade no entanto ainda é algo em que penso e sonho imenso por isso fica á espera de mais post’s relacionados com o tema!

    Beijinhos, Hellen ❤
    http://instantesimprovaveis.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  9. Corações infinitos para todas vocês e para o apoio maravilhoso que me dão! <3333

    ResponderEliminar

Muito obrigado pela tua visita e comentário. Clica em "Notificar-me" para saberes a minha resposta.
Assim que possa irei ao teu blog retribuir o carinho. ♥