FEV#28COISAS | Livro || O Livro do Hygge

11:00

   Para além do hype todo em torno deste livro, que me deixou com vontade de saber mais acerca do mesmo, o próprio conceito-chave foi o que mais me cativou. Já tinha lido alguns artigos acerca do hygge e, inclusive, vi nesses artigos a sua relação com a Psicologia. Além do mais, retirar prazer das coisas pequenas é algo que me caracteriza, pelo que parti do princípio que me iria rever muito no livro e aprender a fazê-lo ainda mais.
   Como se não bastasse, a minha curiosidade aguçou-se ainda mais pelo facto de imensas bloggers que eu acompanho e cujo trabalho admiro recomendarem o livro. Pois claro: não resisti e comprei-o para também eu poder dar a minha opinião.


   Como gosto de, aos Domingos, vos trazer sugestões mais culturais, achei que esta seria a ideal.
  Comecei a leitura nas noites chuvosas que Fevereiro nos ofereceu. Equipei-me a rigor: meias grossas, pijama quentinho, luz ambiente com velas e chá a escaldar. Tudo a condizer com serões hyggeligt.
   Da autoria de Meik Wiking, o presidente do Happiness Research Institute, são-nos relatadas, na primeira pessoa, situações e cenários em que o hygge é o principal: desde um convívio com amigos numa noite fria a uma fogueira no Verão.


   Uma das grandes dificuldades associadas a este livro é a pronúncia. Segundo o próprio autor, esta dificuldade é problema geral e, para evitar calinadas muito acentuadas, eu e o Ricardo chegámos a procurar na net a forma correta de pronunciar hygge e é alguma coisa como "hoogha".
   Para além disso, também a tradução constitui um problema. Ao traduzir para inglês, por exemplo, trata-se de "fun", ao passo que para português já se trata de "aconchego". Conclui-se então que o conceito não tem uma tradução linear, "é como um belo abraço, mas sem contacto físico". Contudo, encontra-se associado a outros conceitos como gezellig (proveniente da Holanda) ou koselig (Noruega).


   Ao lermos este livro, embarcamos numa viagem pelos costumes dinamarqueses. Ficamos a conhecer as casas ideias, as características dos cafés mais acolhedores e os cenários mais aconchegantes. Apesar de o Inverno ser considerado pelos dinamarqueses como a estação mais hyggeligt, pode também ser-se hygge nos restantes meses do ano.
   O livro conta também com diversas estatísticas que nos dizem, por exemplo, que hygge pode ter tradução (com 47%), que o hygge não é exclusivo da Dinamarca (com 53%), que o hygge é sentido maioritariamente em casa (com 71%) e que ao hygge estão associados, maioritariamente, bebidas quentes, velas, lareiras, jogos de tabuleiro, música, bolos e livros - sim, estes são alguns dos ingredientes secretos para momentos hyggeligt.


   Além disso, não obstante à parte teórica, o livro mostra a parte prática. Temos receitas de culinária tipicamente dinamarquesas, temos dicas hygge (como criar um clube de comida, por exemplo) e temos imagens arrebatadoras que nos deixam cheios de vontade de adotar este estilo de vida tão apaixonante.
   Como se não bastasse, Meik Wiking ensina-nos a criar um estojo de emergência hygge, onde podemos incluir chocolate, velas, chás, mantas, compotas, livros e CD's favoritos, entre outras coisas; ficamos também a saber a lista de 10 mandamentos para uma casa mais hyggelig, na qual devemos ter um hyggekrog, uma lareira, coisas de madeira e cerâmica, mantas e almofadas.


   Mas o livro não se fica por aí. Dá também ênfase aos momentos hyggeligt fora de casa, mostra como ter um Verão hygge e ensina-nos as cinco dimensões do hygge,
   Não é preciso muito para nos apaixonarmos pela visão do autor e pelo seu estilo de vida, que é partilhado com todos os dinamarqueses. É impossível não sorrir enquanto se lê este livro e ainda mais impossível é não tentar de imediato seguir os conselhos que ele nos traz para tornarmos a nossa vida mais hygge porque, acreditem, é muito simples retirar felicidade de pequenos momentos.

   Uma das frases do livro que me marcou refere que "o hygge pode ser péssimo para o capitalismo de mercado, mas pode revelar-se ótimo para a felicidade individual" e eu não poderia estar mais de acordo, afinal de contas o essencial é invisível aos olhos!

   Certamente que também já se cruzaram com este livro (ou com fotos dele). Qual a vossa opinião? Conheciam o conceito?







• • •
Podes acompanhar-me também aqui:

You Might Also Like

17 comentários

  1. Já tenho visto este livro em imensos blogs e tenho imensa curiosidade e agora que referiste que tem relação com a psicologia acho mesmo que o vou comprar (eu também estudo psicologia). Parece ser super interessante e estar muito bem construído!
    Beijinhos
    wallflowerbyines.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Fiquei cheia de vontade de ler!
    Beijinho grande e muitas felicidades!
    chamammepequenita.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  3. Já ouvi falar muito sobre este livro e confesso que quanto mais ouço falar, mais vontade tenho de ler! É uma grande possibilidade para uma próxima compra! Gostei muito do post!

    Um beijinho,
    Bia do Bookaholic.

    ResponderEliminar
  4. Já passei por este livro na fnac N vezes! Fico sempre curiosa mas ainda não foi desta que o trouxe comigo xD Estou mesmo cada vez mais curiosa!!! No entanto parece um estilo de vida super cozy e logo nada adaptável ao nosso estilo de vida mediterrânico xD

    Beijinhos,
    Mii
    https://thycomiclife.wordpress.com/

    ResponderEliminar
  5. Já me cruzei com este livro em vários locais, e cada vez que leio uma opinião sobre ele mais vontade tenho de o ler. Adoro a temática e as imagens são inspiradoras ;)
    Beijinhos

    http://dailyprinces.blogspot.pt//

    ResponderEliminar
  6. Livros "inspiracionais" não são muito a minha praia, devo admitir mas por acaso quero folheá-lo quando passar numa livraria! O design é muito instagrammable, que é muito a moda de hoje em dia, e só por aí aguça o consumismo mas isto já sou eu a ser uma party pooper ahah!
    O conceito parece interessante, tenho de tentar pôr o cepticismo de parte quando o for ver!

    Marta Rodrigues, Majestic

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Marta, tenho a certeza que te vais render! É só o que te digo :p

      Eliminar
  7. Ofereci o livro a uma amiga depois de o ter folheado na livraria e de ter ficado convencida com o conceito e com a leitura das primeiras páginas. Acho que fiz a escolha acertada :)

    ResponderEliminar
  8. Pronto, e foste tu que me convenceste Dalila! Vou adquiri-lo :)
    THE PINK ELEPHANT SHOE // INSTAGRAM //

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que gosteeeees! Esperando pela resenha :)

      Eliminar
  9. Nunca havia visto esse livro em lugar algum! Achei super fofo e a abordagem me parece leve e descontraída. Entretanto, acho que pode ser difícil adaptar esse estilo de vida à correria do dia a dia. :( De qualquer forma, a leitura me interessou e sua resenha ficou uma graça.

    Beijos,
    Attraversiamo.

    ResponderEliminar
  10. Nunca tinha ouvido falar desse livro mas me despertou uma vontade de le-lo, vou procura-lo

    ResponderEliminar
  11. Ai, que livrinho amor! Quero arranjá-lo para lê-lo, com certeza vou gostar dele! *-*

    bruna-morgan.blogspot.com

    ResponderEliminar
  12. Eu tive certa dificuldade em entender o nome - mas me passou uma ideia boa. Nunca tinha topado com ele e acredito que poderia ser uma boa aquisição <3
    Obrigado por nos apresentar hhaha
    www.josya.com.br

    ResponderEliminar

Muito obrigado pela tua visita e comentário. Clica em "Notificar-me" para saberes a minha resposta.
Assim que possa irei ao teu blog retribuir o carinho. ♥